O cadastro no sistema e posterior acesso, por meio de login e senha, são obrigatórios para a submissão de trabalhos, bem como para acompanhar o processo editorial em curso. Acesso em uma conta existente ou Registrar uma nova conta.

Diretrizes para Autores

Normas de publicação:

  1. Linha editorial
  2. Tipo de colaboração aceito pela Acta Psicossomática
  3. Apreciação pela comissão editorial
  4. Direitos autorais e aspectos éticos
  5. Reprodução de terceiros
  6. Orientações para submissão
  7. Exemplos de citações no corpo do manuscrito
  8. Orientações para elaboração das referências

 

Obs. Favor observar que a submissão de artigos deverá ser feita por e-mail e não pela plataforma, conforme as indicações abaixo.

 

1 – Linha editorial

Acta Psicossomática é uma publicação do Programa de Pós-graduação em Psicologia da Universidade Ibirapuera. A revista tem periodicidade semestral e publica artigos científicos originais, revisões de literatura, relatos de casos, abrangendo assim temas clínicos, pesquisa básica e translacional, bem como discussões teóricas relacionadas ao campo psicossomático. As publicações da Acta Psicossomática visam destacar não apenas os fenômenos psicossomáticos em sentido estrito, mas igualmente a importância do desenvolvimento e do ciclo vital humanos, bem como as relações entre psique e soma e reflexões teóricas e clínicas advindas seja de um campo específico, seja de uma abordagem multidimensional. A multidisciplinaridade da revista reforça a importância de publicações de estudos teóricos e empíricos na área das Ciências Humanas e da Saúde que levem em conta aspectos psicológicos, históricos, inconscientes, socio-culturais e biológicos da constituição subjetiva e das distintas modalidades de sofrimento biopsicossocial. Os artigos publicados são de responsabilidade exclusiva dos autores, e as opiniões neles expressas não refletem necessariamente o pensamento do Corpo Editorial. 

2 - Tipos de colaboração aceitos pela revista Acta Psicossomática

2.1. Relato de pesquisa: investigação baseada em dados experimentais, com método pré-estabelecido e análise de dados. A revista Acta Psicossomática publica prioritariamente artigos destinados à divulgação de resultados de pesquisas originais recentes.

2.2. Revisão sistemática da literatura: análise de um corpo abrangente de investigação, relativo a assuntos de interesse para o desenvolvimento da Psicologia. A revisão sistemática deve descrever pormenorizadamente o método utilizado para busca dos estudos originais.

2.3 Revisão livre de literatura: neste caso, trata-se de uma revisão livre na área de abrangência do escopo da Revista.

2.4 Estudo teórico: neste perfil se encaixam manuscritos que envolvam a análise de construtos teóricos, levando ao questionamento de modelos existentes e à elaboração de hipóteses para estudos futuros.

2.5 Resenhas: apreciação de livros ou coletâneas de relevância para o campo psicossomático e áreas afins

2.6 Estudo de caso: relato de caso clínico que apresente articulação teórica e contribuição relevante para a área

 

3 - Apreciação pela Comissão Editorial

O processo de revisão editorial somente será iniciado se o manuscrito encaminhado obedecer estritamente às condições definidas nas Normas de Publicação. O manuscrito que se enquadrar nas categorias acima descritas, será submetido à pré-análise da Comissão Editorial. Quando verificado o cumprimento de todas as Normas de Publicação, será então encaminhado para análise dos consultores ad hoc,

Ao submeter o manuscrito à avaliação, os autores comprometem-se a garantir que

I – o texto não foi publicado e tampouco está sendo submetido a outro periódico, II - todas as pessoas listadas como autores aprovaram seu encaminhamento para publicação na revista Acta Psicossomática; III - qualquer pessoa citada como fonte de comunicação pessoal aprovou previamente a citação; IV – caso o artigo venha a ser publicado, transferem os direitos de reprodução à Acta Psicossomática; V — têm ciência de que a revista se reserva ao direito de realizar pequenas alterações de cunho editorial no manuscrito sem a prévia consulta aos autores.

O processo editorial da revista Acta Psicossomática pauta-se pela revisão às cegas (double blind review) realizada por pares, ou seja, as identidades dos autores e dos assessores ad hoc são mantidas em sigilo.

O original é analisado, preliminarmente, pela Comissão Editorial, de acordo com os seguintes critérios: I - conteúdo, no que se refere à linha editorial da revista; II - originalidade, relevância do tema e qualidade da metodologia científica utilizada; III - adequação às normas editoriais adotadas pelo periódico; IV - caso o manuscrito seja submetido em língua estrangeira, inteligibilidade e correção da escrita. Após este processo, o manuscrito poderá: I - ser devolvido aos autores solicitando modificações, quando não foram atendidas as exigências formais; II - ser recusado ou III - dar prosseguimento ao processo de avaliação, se o manuscrito atender aos critérios.

Os manuscritos aprovados pela Comissão Editorial serão encaminhados para análise de consultores ad hoc que tenham reconhecida competência na área de conhecimento em questão. O resumo do manuscrito é utilizado como veículo de consulta aos assessores. Ao menos dois consultores da área são convidados a emitir o parecer. O procedimento para primeira avaliação é iniciado com o envio do manuscrito na íntegra aos assessores ad hoc que aceitarem o convite. Após a análise do manuscrito, os revisores sugerem a recusa ou recomendam sua publicação, que poderá ser condicionada à realização de alterações.  O manuscrito poderá ser I - aceito sem modificações; II - submetido novamente para reavaliação após modificações recomendadas; ou III - recusado.

Em caso de nova submissão para reavaliação, a versão reformulada deve ser devolvida no prazo informado pela Comissão Editorial, juntamente com carta dos autores, enviada em documento suplementar e dirigida à Comissão Editorial, elencando as alterações que foram feitas no manuscrito, a partir das críticas e sugestões contidas no parecer emitido, e justificando aquelas que não foram acatadas.

A Comissão Editorial realizará a análise final dos pareceres e do texto, no sentindo de avaliar se ainda cabem alterações. Caso aprovado, o manuscrito será encaminhado para os procedimentos finais de normalização com vista à publicação. Com base nos pareceres emitidos, cabe ao Editor responsável o julgamento final sobre a publicação ou recusa do manuscrito. Essa decisão será comunicada aos autores.

 

4 - Direitos autorais e aspectos éticos

A Comissão Editorial autoriza o livre acesso e distribuição dos conteúdos publicados, desde que citada à fonte, atribuindo-se crédito aos autores e à Acta Psicossomática, preservado o texto na íntegra. O autor tem permissão para depositar a versão final em repositório institucional ou página da internet (site, blog pessoal, etc), logo após a publicação, desde que em acesso aberto e fazendo referência a sua publicação original na Acta Psicossomática.

Os manuscritos submetidos, quando derivados de estudos que envolvem seres humanos, animais e amostras biológicas, devem obrigatoriamente ter sido aprovados por Comitê de Ética em Pesquisa, conforme preconizam as diretrizes e normas das Resoluções Nº 466, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2012 e Nº510, DE 07 DE ABRIL DE 2016 do Conselho Nacional de Saúde - Ministério da Saúde. Os autores deverão inserir a cópia digitalizada da declaração de aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa da instituição no momento da primeira submissão do manuscrito.

Caso a pesquisa que originou o manuscrito tenha envolvido animais ou humanos e tenha sido realizada I - sob a égide de uma instituição de ensino superior que tenha aprovado e se responsabilizado pelos procedimentos empregados; ou II – seja de responsabilidade dos autores (por exemplo, na utilização de casos clínicos) será necessário encaminhar uma carta ao editor responsável descrevendo quais princípios éticos balizaram a pesquisa, sua redação, a garantia de anonimato, etc., bem como a assunção da inteira responsabilidade do(s) autor(es) ou da instituição pelos desdobramentos éticos da publicação.

 

5 - Reprodução de terceiros

Citações com mais de 700 palavras, reprodução de uma ou mais figuras, tabelas ou outras ilustrações devem ter permissão escrita do detentor dos direitos autorais do trabalho original (enviadas no momento da primeira submissão), salvo em casos especiais, quando comunicados e aprovados previamente pelo editor.

 

 6 - Orientações gerais para submissão

A submissão do manuscrito deverá ser feita por e-mail no endereço acta@ibirapuera.edu.br e contar com os seguintes anexos:

  1. Arquivo em .doc ou .docx referente à folha de identificaçãodos autores;
  2. Arquivo em .doc ou .docx referente ao manuscrito não identificado
  3. Em caso de casos clínicos, pesquisas envolvendo humanos ou animais, arquivo digitalizado referente ao parecer do Comitê de Ética em Pesquisa ou declaração de conformidade ética do artigo, subscrita por todos os autores ou pela instituição responsável pela pesquisa, conforme item 4.

A Acta Psicossomática recebe artigos nos seguintes idiomas: português, inglês, espanhol ou francês.

Os textos deverão ser digitados em espaço duplo, justificado, em fonte tipo Times New Roman, tamanho 12, ao longo de todo texto, não excedendo o limite de 25 páginas, excluídas as folhas de rosto. O manuscrito deverá ser paginado desde a folha de rosto, a qual receberá número de página 1. A página deverá ser tamanho A4, com formatação de margens de superior e inferior de 2,5 cm e esquerda e direita de 3,0 cm, com recuo da primeira linha do parágrafo com tabulação de 1,25 cm.

Na folha de identificação dos autores, a ser enviada separadamente, deverá constar I – tipo de publicação na qual o manuscrito se insere, conforme o item 2 das presentes normas; II – o título do artigo em seu idioma original; III nome e sobrenome dos autores com respectivas afiliações (cargos, instituições e email) com a indicação do autor para correspondência;

Na folha de rosto do manuscrito, o título deverá constar em português, inglês e espanhol, nesta ordem, seguidas, respectivamente de seus correspondentes resumo (português), abstract (inglês) e resumen (espanhol). Os resumos terão um limite de 250 palavras, cada resumo deverá ser seguido de até 7 palavras-chave (sugere-se utilizar as bases de Psicologia: http://www.bvs-psi.org.br/ou  MeSH: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/meshe DeCS: http://decs.bvs.br/  para a escolha das palavras-chave). Sugere-se, ainda, que o texto principal contenha: introdução, método (no qual deverá constar o número de aprovação do Comitê de Ética Institucional no caso de experimentos que envolvam estudos com seres humanos, animais ou material biológico); resultadosdiscussão; conclusões; e referências (no estilo da American Psychological Association- APA).

 

A apresentação do manuscritos deve, assim, seguir a seguinte ordem:

  1. Folha(s) de rosto não identificada(s)contendo:
    • Tipo de publicação na qual o artigo se insere
    • Título pleno em português, acompanhado de resumo e palavras-chave
    • Título pleno em inglês, acompanhado de abstracte keywords
    • Título pleno em espanhol, acompanhado de resumene palabras clave
  2. Texto propriamente dito. Redigido de acordo com cada um dos tipos de publicação aceitos pela revista. A seções não são numeradas e deverão figurar, em negrito, com mesma fonte e tamanho do corpo do texto.
  3. Referências. As referências utilizadas devem ser compatíveis com o escopo do manuscrito. Sugere-se a utilização de artigos científicos originais e atualizados relativos à temática abordada que outro tipo de publicação.

As citações de autores deverão ser feitas de acordo com as normas da APA (American Psychological Society). No caso de reprodução na íntegra de um texto, a transcrição deve ser delimitada por aspas e a citação do autor deve ser seguida do número da página citada. Uma citação literal com 40 palavras ou mais deve ser apresentada em bloco próprio, sem aspas, começando em nova linha, com recuo de 4 cm a partir da margem esquerda, na mesma posição de um novo parágrafo. O tamanho da fonte deve ser 12, como no restante do texto.

As figuras e tabelas deverão ser incluídas ao longo do texto e devem ser apresentadas com legendas e títulos individualmente, e devem estar uma em cada página. Figuras, incluindo legenda, na versão publicada não poderão exceder a largura de 8,3 cm para figuras simples, e de 17,5 cm para figuras complexas. A quantidade de figuras e tabelas não deve exceder o número de cinco. Cada tabela não poderá exceder 17,5 cm de largura por 23,7 cm de comprimento. O comprimento da tabela não deverá exceder 55 linhas, incluindo título e rodapé(s).

Para outros detalhamentos não mencionados nesta sessão, o manual da APA deve ser consultado.

A não observância desses elementos podem constituir motivo de rejeição do manuscrito pela Comissão Editorial.

 

7 – Alguns exemplos de citações no corpo do manuscrito

A - Citação de artigo de autoria múltipla

  1. Dois autores

O sobrenome dos autores é explicitado em todas as citações, usando e ou & conforme as seguintes situações:

O conceito freudiano apresentado por Laplanche e Pontalis (1992)... O & deve ser utilizado quando: o método foi inicialmente proposto para o estudo da visão (Laplanche & Pontalis, 1992).

  1. De três a cinco autores

O sobrenome de todos os autores deve ser explicitado na primeira citação. Da segunda citação em diante, somente o sobrenome do primeiro autor é explicitado, seguido de “et al.”, e o ano, se for a primeira citação de uma referência dentro de um mesmo parágrafo:

Saavedra, Costa, Garcias, Horta e Tomasi (2003) verificaram que [primeira citação do texto]

Saavedra et al. (2003) verificaram que [citação subsequente, primeira no parágrafo]

Na seção de Referências todos os nomes devem ser relacionados.

  1. Seis ou mais autores

No texto, desde a primeira citação, só o sobrenome do primeiro autor é mencionado, seguido de “et al.”, exceto se este formato gerar ambiguidade, caso em que a mesma solução indicada no item anterior deve ser utilizada. 

Na seção de referências todos os nomes devem ser relacionados.

 

B) Citações de trabalho discutido em uma fonte secundária

O manuscrito utiliza como fonte um trabalho discutido em outro estudo, sem que o trabalho original tenha sido consultado (por exemplo, um estudo do Flavell, citado por Shore, 1982). Esse tipo de citação deve ser evitada ao máximo, limitando-se a casos específicos que devem ser comunicados e justificados ao editor em mensagem à parte. No texto, use a seguinte citação:

Flavell (conforme citado por Shore, 1982) acrescenta que estes estudantes...

Na seção de Referências informar a fonte secundária, no caso Shore, utilizando o formato apropriado.

 

 C) Citações de obras antigas reeditadas

Autor (data da publicação original / data da edição consultada). Ex.: Franco (1790/1946).

 

 D) Citação de comunicação pessoal

Este tipo de citação deve ser evitado, por não oferecer informação recuperável por meios convencionais. Se inevitável, deve aparecer no texto, mas não na seção de Referências.

L. C. Zannon (comunicação pessoal, 30 de outubro de 1994)

 

8 - Orientações para elaboração das referências

As referências devem ser ordenadas de acordo com as regras gerais que seguem, baseadas nas diretrizes da APA. Trabalho de autoria única e do mesmo autor é ordenado por ano de publicação, sendo a mais antiga a primeira. Trabalhos de autoria única precedem trabalhos de autoria múltipla, quando o sobrenome é o mesmo. Trabalhos em que o primeiro autor é o mesmo, mas coautores diferem, são ordenados por sobrenome dos coautores. Trabalhos com a mesma autoria múltipla são ordenados por data, sendo o mais antigo primeiro. Trabalhos com a mesma autoria e a mesma data são ordenados alfabeticamente pelo título, desconsiderando a primeira palavra se for artigo ou pronome, exceto quando o próprio título contiver indicação de ordem; o ano é imediatamente seguido de letras minúsculas. Quando repetido, o nome do autor não deve ser substituído por travessão ou outros sinais. A formulação da lista de referências deve ser apropriada à tarefa de revisão e de editoração, contendo espaço duplo, fonte 12. Cada uma das referências deve aparecer como um novo parágrafo, com recuo de 0,5 cm da margem esquerda a partir da segunda linha. É preciso revisar cuidadosamente as Normas de Publicação da revista antes de preparar suas referências, para obedecer a todos os critérios. A exatidão das referências é de responsabilidade dos autores. Abaixo são mencionados exemplos de tipos comuns de referência. Em relação a endereços da internet dos quais as referências foram recuperadas, não devem ser informadas as datas, apenas os links.

 

8.1- Relatório técnico

Birney, A. J., & Hall, M. M. (1981). Early identification of children with written language disabilities (Rep. No. 81-1502). Washington, DC: National Education Association.

 

8.2 - Teses e dissertações

As referências a teses e dissertações devem ser evitadas. Dê preferência aos artigos que elas tenham originado, isto é, cite a publicação indexada. Caso seja imprescindível para o estudo a citação de teses e dissertações, estas devem estar disponíveis on-line em uma base de dados institucional ou comercial.

 

8.2.1 - Dissertação de mestrado disponível em base comercial

McNiel, D. S. (2006). Meaning through narrative: A personal narrative discussing growing up with na alcoholic mother (Master's thesis). Available from ProQuest Dissertation and Theses database.

 

8.2.2 - Tese de doutorado disponível em base de dados institucional

Juran, R. (2013). The relationship between perceived thought control ability, mindfulness, and anxiety (Doctoral dissertation). Retrieved from https://etd.ohiolink.edu/

 

8.3 - Livros

Arendt, H. (1998). The human condition (2nd ed.). Chicago, IL: The University of Chicago Press.

 

8.4 - Capítulo de livro

Blough, D. S., & Blough, P. (1977). Animal psychophysics. In W. K. Honig & J. E. Staddon (Orgs.), Handbook of operant behavior (pp. 514-539). Englewood Cliffs, NJ: Prentice-Hall. 

 

8.5 - Livro traduzido

Kuhn, T. (1996). A estrutura das revoluções científicas (B. Boeira & N. Boeira, Trad.). São Paulo, SP: Perspectiva. (Trabalho originalmente publicado em 1970)

 

8.6 - Obras antigas em reedição em datas muito posterior

Franco, F. M. (1946). Tratado de educação física dos meninos. Rio de Janeiro, RJ: Agir. (Trabalho originalmente publicado em 1790)

 

8.7 - Autoria institucional

American Psychiatric Association. (2013). Diagnostic and statistical manual of mental disorders (5th ed.). Washington, DC: Author.

Conselho Federal de Serviço Social. Conselho Federal de Psicologia. (2007). Parâmetros para atuação de assistentes sociais e psicólogos(as) na política de assistência social. Recuperado de: http://site.cfp.org.br/publicacao/parmetros-para-atuao-de-assistentes-sociais-e-psiclogosas-na-poltica-de-assistncia-social/

Para materiais disponíveis on-line, não incluir data de acesso a não ser que a fonte do material mude com o passar do tempo (ex., wikis).

 

8.8 - Artigo em periódico científico (com e sem DOI)

Dugnani, K. C. B., & Marques, S. L. (2011). Construção e validação de instrumento para prática interventiva na adoção [Construction and validation of an instrument for intervening practices in adoption]. Paidea (Ribeirão Preto), 21(50), 317-328. https://doi.org/10.1590/S0103-863X2011000300004 

Se o artigo publicado on-line não possuir o digital object identifier (DOI), informar a URL. Não informe data de acesso.

Kirst-Conceição, A. da C., & Martinelli, S. de C. (2014). Análises psicométricas iniciais de uma Escala de Empatia Infantojuvenil (EEmpa-IJ). Avaliação Psicológica, 13(3), 351-358. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_serial&pid=1677-0471&lng=pt&nrm=iso

 

8.9 - Artigo no Prelo

Evitar esse tipo de referência. Caso seja imprescindível, não fornecer ano, volume ou número de páginas até que o artigo esteja publicado. Respeitada a ordem de nomes, será a última referência do autor.

Carvalho, L. F., & Primi, R. (in press). Development and internal structure investigation of the Dimensional Clinical Personality Inventory. Psicologia: Reflexão e Crítica.

 

8.10 - Documentos Legislativos

Decreto No. 3.298. (1999, 20 de dezembro). Regulamenta a política nacional para a integração da pessoa portadora de deficiência, consolida as normas de proteção e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República.

Constituição da República Federativa do Brasil. (1988, 5 de outubro). Recuperado de http://www.senado.gov.br/sf/legislacao/const/