A felicidade segundo o povo guarani mbya: a noção de bem-viver

Gabriel Castro Siqueira, Alessandro de Oliveira dos Santos

Resumo


Com base em revisão livre de literatura, apresentamos uma noção de felicidade, qualidade de vida e bem-
-estar tomando em consideração a perspectiva ameríndia do povo Guarani Mbya e seu modo de bem-viver, o
Teko Porã. Esse modo de vida privilegia aspectos coletivos da constituição subjetiva que abrangem diversas
dimensões da existência, como a espiritual, a territorial, a afetiva, a educacional e a da saúde. O Teko Porã

pressupõe uma vida comunitária em comunhão com a natureza, uma economia de reciprocidade, a experi-
ência cotidiana do sagrado e a alegria de viver. A relação entre poder de compra e qualidade de vida tem sido

um dos pilares de uma ideologia da felicidade presente nas sociedades capitalistas contemporâneas. A noção
de bem-viver é um contraponto a essa ideologia, estimulando a refexão sobre outras formas de considerar a
alteridade, capazes de fomentar projetos de sociedades mais justas e sustentáveis. O resgate dos saberes

dos povos autóctones da América Latina é uma alternativa para o desenvolvimento de estratégias de enfren-
tamento para lidar com o sofrimento biopsicossocial gerado por hábitos de consumo excessivo, pelo individu-
alismo exacerbado e pela ideologia da felicidade.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.